sentimentos de um coração
minhavidasemti:

Ah, se você soubesse o quanto eu chorei, o quanto me culpei. Se você soubesse pelo menos metade de tudo o que eu sinto por você, ou sentia, de tudo o que está entalado aqui na minha garganta, no meu coração. Tudo mesmo, você choraria. Talvez se soubesse do que se passa em meu coração, em minhas lágrimas, você voltaria correndo e se arrependeria de ter ido embora novamente. Mas você não sabe - nunca soube e nem irá saber. Não irei te contar, se quer assim, ficará assim. Sofrendo. Isso imediatamente me torna cada vez mais frio, é sufocante, doloroso e chega a arder aqui dentro … até a rasgar-me. Mas você não sabe, não tem noção do tamanho do meu amor. Ah, se você soubesse do quanto tentei me enganar, nem enganar, mas aguentar, disfarçar, deixar pra lá. Mas não consegui, aqui estou mais uma vez assumindo minha fraqueza diante de ti, assumindo não que não sei viver sem você; Isso eu sei. Mas assumindo que dói viver sem você. Eu nunca fui a melhor pessoas em palavras completas. Sempre fui essa pessoa meio incompleta que não sabe direito o quer ou o que sente. Mas, um dia me perguntaram o que era amor, e não veio aquela frase clichê de teu nome. Vieram-me todos os momentos, todos os dias, todas as horas, todos os minutos que estivemos juntos. Aquilo talvez tenha passado tão natural, tão desapercebido que nem demos valor. Mas pensa daí, uma duas, três vezes se for preciso. Aquilo te fez bem, não é mesmo? Aquela sensação de estarmos juntos, sabendo que nunca iriamos abrir mão um do outro. Olha só, a palavra nunca assumindo ambiguidade entre nós. Talvez o que nunca seria desfeito, hoje nunca mais será refeito. Mas estou aqui, não sei o que deu em mim. Logo eu que sempre fui esse poço de orgulho, essa imbrequidão de sentimentos. Estou aqui lamentando pelo que foi tornado em destroços assim tão imperceptível a nós mesmos. Lembra? Lembra de quando não conseguíamos passar meros minutos sem nos falarmos? E olha só agora… Um segurando o lado oposto, pra não ter que encarar um ao outro e assumir que sente falta. Você me conhece bem, eu nunca fui de correr atrás, nunca fui de ajoelhar-me diante de quaisquer situação. Mas olha… Estou aqui, querendo mostrar-te o quanto é desgastante entalar-me com esses sentimentos e saber que hoje eles são inválidos. Mas estou em uma luta imensurável com minha alma, ela quer rasgar a carne, atravessar e ir ao teu contro. Te segurar com todas as forças e nunca mais te largar. Mas meu corpo não consegue mover-se um centímetro para fazer do mesmo. Talvez por querer ver-lhe fazendo o mesmo e continuar vendo o inerte entre dois corpos que ocupam o mesmo coração e não fazem de nada pra se encontrar. Mas eu ao menos estou admitindo minha fraqueza, estou admitindo minhas lágrimas, e não sabe quantas barreiras eu quebrei pra admitir tais coisas. Mas se prefere que fiquemos assim, que assim seja. Só saiba que eu tentei juntar-me ao teu sofrimentos, juntar-me às suas fraquezas e caminharmos juntos novamente, como um dia fomos, tão completos. Se for pra ser realmente assim, que assim seja. Mas arderá, não só daqui, mas daí também, e como ácido corroerá o coração um do outro, e quem sabe um dia não restará mais nada do “nós” que um dia houve, e acredite, isso será mais lamentável ainda. Depois de tantas promessas, terminarmos no silêncio.

minhavidasemti:

Ah, se você soubesse o quanto eu chorei, o quanto me culpei. Se você soubesse pelo menos metade de tudo o que eu sinto por você, ou sentia, de tudo o que está entalado aqui na minha garganta, no meu coração. Tudo mesmo, você choraria. Talvez se soubesse do que se passa em meu coração, em minhas lágrimas, você voltaria correndo e se arrependeria de ter ido embora novamente. Mas você não sabe - nunca soube e nem irá saber. Não irei te contar, se quer assim, ficará assim. Sofrendo. Isso imediatamente me torna cada vez mais frio, é sufocante, doloroso e chega a arder aqui dentro … até a rasgar-me. Mas você não sabe, não tem noção do tamanho do meu amor. Ah, se você soubesse do quanto tentei me enganar, nem enganar, mas aguentar, disfarçar, deixar pra lá. Mas não consegui, aqui estou mais uma vez assumindo minha fraqueza diante de ti, assumindo não que não sei viver sem você; Isso eu sei. Mas assumindo que dói viver sem você. Eu nunca fui a melhor pessoas em palavras completas. Sempre fui essa pessoa meio incompleta que não sabe direito o quer ou o que sente. Mas, um dia me perguntaram o que era amor, e não veio aquela frase clichê de teu nome. Vieram-me todos os momentos, todos os dias, todas as horas, todos os minutos que estivemos juntos. Aquilo talvez tenha passado tão natural, tão desapercebido que nem demos valor. Mas pensa daí, uma duas, três vezes se for preciso. Aquilo te fez bem, não é mesmo? Aquela sensação de estarmos juntos, sabendo que nunca iriamos abrir mão um do outro. Olha só, a palavra nunca assumindo ambiguidade entre nós. Talvez o que nunca seria desfeito, hoje nunca mais será refeito. Mas estou aqui, não sei o que deu em mim. Logo eu que sempre fui esse poço de orgulho, essa imbrequidão de sentimentos. Estou aqui lamentando pelo que foi tornado em destroços assim tão imperceptível a nós mesmos. Lembra? Lembra de quando não conseguíamos passar meros minutos sem nos falarmos? E olha só agora… Um segurando o lado oposto, pra não ter que encarar um ao outro e assumir que sente falta. Você me conhece bem, eu nunca fui de correr atrás, nunca fui de ajoelhar-me diante de quaisquer situação. Mas olha… Estou aqui, querendo mostrar-te o quanto é desgastante entalar-me com esses sentimentos e saber que hoje eles são inválidos. Mas estou em uma luta imensurável com minha alma, ela quer rasgar a carne, atravessar e ir ao teu contro. Te segurar com todas as forças e nunca mais te largar. Mas meu corpo não consegue mover-se um centímetro para fazer do mesmo. Talvez por querer ver-lhe fazendo o mesmo e continuar vendo o inerte entre dois corpos que ocupam o mesmo coração e não fazem de nada pra se encontrar. Mas eu ao menos estou admitindo minha fraqueza, estou admitindo minhas lágrimas, e não sabe quantas barreiras eu quebrei pra admitir tais coisas. Mas se prefere que fiquemos assim, que assim seja. Só saiba que eu tentei juntar-me ao teu sofrimentos, juntar-me às suas fraquezas e caminharmos juntos novamente, como um dia fomos, tão completos. Se for pra ser realmente assim, que assim seja. Mas arderá, não só daqui, mas daí também, e como ácido corroerá o coração um do outro, e quem sabe um dia não restará mais nada do “nós” que um dia houve, e acredite, isso será mais lamentável ainda. Depois de tantas promessas, terminarmos no silêncio.

youremyfirework:

 Jamais, em hipótese alguma troque um amigo por um amor.

youremyfirework:

 Jamais, em hipótese alguma troque um amigo por um amor.

minhavidasemseuamor:

O sorriso de quem ama é lindo. Mas o sorriso de quem sofre é ainda mais lindo, pois além de sofrer têm a capacidade de sorrir. g-s

minhavidasemseuamor:

O sorriso de quem ama é lindo. Mas o sorriso de quem sofre é ainda mais lindo, pois além de sofrer têm a capacidade de sorrir. g-s

youremyfirework:

 Eu não planejei me apegar tanto à você, mas aconteceu. Chorão

youremyfirework:

 Eu não planejei me apegar tanto à você, mas aconteceu. 
Chorão

Matemática é para os fracos, quero ver alguém me resolver.
youremyfirework:

 E quantas vezes você deitou, lembrou certas coisas e começou a chorar baixinho?

youremyfirework:

 E quantas vezes você deitou, lembrou certas coisas e começou a chorar baixinho?

youremyfirework:

 Direta ou indiretamente, tudo o que escrevemos é para alguém.

youremyfirework:

 Direta ou indiretamente, tudo o que escrevemos é para alguém.

minhavidasemseuamor:

Caia mesmo! Erre mesmo! E lá na frente você perceberá que cada tombo valeu a pena, e que de tanto errar você acabou acertando.

minhavidasemseuamor:

Caia mesmo! Erre mesmo! E lá na frente você perceberá que cada tombo valeu a pena, e que de tanto errar você acabou acertando.

minhavidasemseuamor:

Lute pelo que te faz sorrir. Desista do que te faz chorar.

minhavidasemseuamor:

Lute pelo que te faz sorrir. Desista do que te faz chorar.

Ô, menina, não desiste não. Você vai fazer sua história, vai sim. Você vai conhecer o cara que vai entender cada detalhe teu e vai te fazer se pegar sorrindo mesmo sem saber. Vai conhecer aquele cara que faz careta pro espelho quando escovam os dentes juntos, que canta a música de vocês quando toma banho, que te dá um beijo na testa quando vai trabalhar e que te busca na faculdade. Vai conhecer aquele cara que vai parar no meio da chuva, fechar o guarda-chuva e te beijar, que vai chegar com você nos braços em casa, rindo igual um idiota e que é um desastre na cozinha. Aquele cara que veste teus sutiãs e fica fazendo gracinha, que discute contigo e não vai lá falar nem ferrando. Vai conhecer aquele cara que te descabela, que tira teu fôlego e te deixa bamba. Que fica te fazendo ciúmes só porque você fica linda quando brava. Aquele cara que gosta do jeito que você fala, do jeito que anda e do jeito que faz as coisas. Aquele cara na medida certa. Aquele Cara, com c maiúsculo mesmo. Ah, mas você também vai conhecer aquele cara que não te dá a mínima, aquele cara que te deu um fora, aquele cara que te traiu. Aquele cara que era carinhoso e depois te trocou, aquele outro sério e chato, aquele romântico e grudento. Aquele cara que as vezes te faz rir, mas quando faz chorar é pra uma noite inteira. Aquele cara que você sempre achou que ia dar certo, mas não deu. E todos esses caras vão servir só pra te ensinar e pra te ajudar a terminar sua história. Afinal, as coisas mais bonitas são as mais tristes, e as pessoas mais bonitas são as felizes. E nessa história — na sua história —, é você quem decide se termina triste, ou linda. Porque você é incrível, menina. Você é incrível.
Pedro Rocha  (via minhavidasemseuamor)